Para: Michael Masutha, Ministro da Justiça da África do Sul, e membros do Parlamento Sul-Africano

O "estupro corretivo" é uma das violências mais repulsivas e abomináveis praticadas regularmente contra pessoas LGBT na África do Sul – aconteceu mais um caso há poucas semanas. 

O projeto de lei contra os crimes de ódio é fundamental para combater esses ataques. É inaceitável que ele continue parado. 

Aprovem o projeto imediatamente!

Você quer que a gente te avise se esta campanha der certo?

Por causa das novas regras, só poderemos te avisar se você se inscrever para receber nossos e-mails.

Você concorda em receber atualizações sobre esta e outras campanhas urgentes em defesa dos direitos LGBT+?

Tem certeza? Se você marcar "Não", não enviaremos nenhuma atualização sobre a campanha que você acabou de assinar. Se marcar "Sim", enviaremos atualizações sobre esta e outras campanhas urgentes. Você pode se descadastrar a qualquer momento. Se marcar "Não", não entraremos mais em contato.

Há alguns dias, um casal da África do Sul foi vítima de um ataque violento e inexplicável – só por serem lésbicas.

Elas foram vítimas de um "estupro corretivo", uma das violências mais repulsivas e abomináveis praticadas regularmente contra pessoas LGBT na África do Sul. Existe um projeto de lei que pode ajudar a impedir esses crimes, mas o Ministro da Justiça, Michael Masutha, está travando seu andamento.

Milhares de pessoas na África do Sul estão pedindo pela aprovação do projeto de lei. Precisamos da sua ajuda para que nossa mensagem seja ouvida. 

Assine agora para ajudar a impedir os crimes de ódio na África do Sul.

Publicado em 18 de outubro de 2016

Esta campanha é realizada em parceria com GaySA Radio, MambaOnline, Hate Crimes Working Group, Access Chapter 2, e Love Not Hate Campaign.

Essa é uma campanha da All Out Action Fund, organização sem fins lucrativos, registrada na categoria 501(c)(4) da Receita Federal dos Estados Unidos.