Para: Parlamento Sul-Coreano e Ministério da Defesa Nacional

Pelo menos 32 soldados foram alvo de uma perseguição contra militares sul-coreanos. Eles foram presos e correm o risco de serem dispensados de forma desonrosa das forças armadas só por serem gays.

Insistimos que as autoridades retirem as acusações contra os soldados e revoguem a cláusula discriminatória presente no Artigo 92-6 do Código Penal Militar.

Esta campanha terminou.

Siga a gente no Facebook e no Twitter para receber atualizações sobre nossas campanhas atuais.

Atualização – 12 de setembro de 2017: Nossos parceiros e parceiras na Coreia do Sul entregaram as assinaturas ao Ministério da Defesa Nacional. A luta para revogar a cláusula discriminatória continua e seguiremos monitorando a situação e apoiando nossos parceiros e parceiras.

---------------------------

Ser gay não é crime na Coreia do Sul – desde que você não seja militar.

Nas últimas semanas, pelo menos 32 soldados foram rastreados pelas forças armadas sul-coreanas em aplicativos para encontro, e depois interrogados. Agora eles aguardam um julgamento que deve acontecer em breve. Por sorte, uma dessas histórias virou manchete internacional e a repressão homofóbica sul-coreana deixou de ser segredo.

O governo pode banir do Código Militar a cláusula de “caça aos gays”, mas as autoridades só vão tomar uma atitude se forem pressionadas por uma manifestação em escala mundial.

Assine a petição e ajude a acabar com a perseguição homofóbica na Coreia do Sul.

Esta campanha é realizada em parceria com a Rede para Revelar a Violação aos Direitos Humanos e a Discriminação contra Pessoas LGBT Ligadas às Forças Armadas e com o Centro de Direitos Humanos Militares da Coreia do Sul.

Publicado em 20 de junho de 2017.

Essa é uma campanha da All Out Action Fund, organização sem fins lucrativos, registrada na categoria 501(c)(4) da Receita Federal dos Estados Unidos.