PARA: Ministro da Justiça e Ministro do Interior do Marrocos

As adolescentes marroquinas C.S. e B.H. foram presas depois que alguém as fotografou dando um beijo e um abraço.

Isso é estarrecedor! Ninguém deve ser perseguido por ser quem é e amar quem ama. Pedimos que libertem as meninas imediata e incondicionalmente.

Também pedimos que libertem todas as pessoas presas por conta de sua orientação sexual, revoguem o Artigo 489 do Código Penal do Marrocos e garantam e protejam as liberdades civis e o direito à privacidade de todas as pessoas. 

Esta campanha terminou.

Siga a gente no Facebook e no Twitter para receber atualizações sobre nossas campanhas atuais.

Atualização, 6 de dezembro de 2016: O veredito será dado em 9 de dezembro. Nossas organizações parceiras no Marrocos disseram que a promotoria está decidida a mandar as garotas para a prisão. Temos apenas alguns dias para convencer as autoridades a retirar as acusações e libertar as meninas. Assine a petição e compartilhe-a com outras pessoas!

-----------

Atualização, 7 de novembro de 2016: No dia 4 de novembro, as meninas foram libertadas sob pagamento de fiança e a próxima audiência foi adiada para 25 de novembro. Recebemos informações de que C.S. está sofrendo violência física e psicológica da própria família. As duas garotas vão continuar enfrentando uma pressão imensa até que todas as acusações sejam retiradas incondicionalmente. Por favor, assine e compartilhe a petição!

-----------

Um beijo inofensivo e um abraço carinhoso – e três anos de prisão como castigo? É isso que C.S., de 16 anos, e B.H., de 17, estão vivendo nesse momento.

Quando a família de C.S. descobriu sua relação com B.H., eles bateram nela e a levaram à delegacia. Policiais a interrogaram, revistaram seu celular e descobriram fotos das duas se beijando, além de vídeos e mensagens pessoais. No Marrocos, qualquer coisa considerada “atividade sexual” entre pessoas do mesmo sexo é ilegal. Se não ajudarmos, elas podem passar três anos na cadeia.

A primeira audiência no tribunal foi na sexta-feira passada. Eu e a equipe do Collectif Aswat estamos nos mobilizando aqui no Marrocos contra essa atrocidade. Mas para convencer as autoridades a libertar as meninas, precisamos de uma mobilização mundial.

Ninguém deve ser preso por amar quem ama. Assine a petição e peça para o Ministro da Justiça do Marrocos libertar essas garotas inocentes.

Publicado em 4 de novembro de 2016 

Esta campanha é realizada em parceria com o Collectif Aswat e a Akaliyat.

Essa é uma campanha da All Out Action Fund, organização sem fins lucrativos, registrada na categoria 501(c)(4) da Receita Federal dos Estados Unidos.