Objetivo

20,000

assinaram

0

União Europeia: respeite o nosso amor

PARA: Exmo. Sr. Jean-Claude Juncker, Presidente da Comissão Europeia, Sr. Donald Tusk, Presidente do Conselho Europeu, Sr. Antonio Tajani, Presidente do Parlamento Europeu

Os casais do mesmo sexo e as famílias LGBT+ que decidem viver em países como a Bulgária não possuem nenhum reconhecimento familiar legal.

Pedimos-lhes que garantam que as famílias do mesmo sexo serão respeitadas e tratadas da mesma maneira que as outras, de acordo com o princípio de liberdade de movimento em toda a UE.

Você gostaria de receber notícias sobre o resultado dessa campanha?

Por causa de novas regulamentações, só poderemos entrar em contato para avisar se Cristina e Mariama tiverem sucesso se você se inscrever para receber os nossos emails.

Sim
Não

Você tem certeza? Se você escolher ‘Sim”, entraremos em contato para dizer se/quando houver atualizações importantes no caso de Cristina e Mariama. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento. Se você selecionar “Não”, nós não vamos te inscrever, mas armazenaremos suas informações para a entrega da petição.

A Cristina e a Mariama casaram-se em França há dois anos, após uma convivência de treze. Pouco depois do casamento, foram viver para a Bulgária, em Sófia.

A Mariama é francesa e a mulher dela australiana. Tal como milhares de casais que todos os anos decidem passar a viver noutro país da UE, tinham a certeza de que as mesmas leis de liberdade de movimento se aplicariam ao seu caso.

No entanto, as autoridades da Bulgária rejeitaram o pedido de autorização de residência da Cristina só por se tratar de um casal de duas mulheres e pelo facto de o casamento do mesmo sexo não ser legal neste país.

As famílias LGBT+ merecem ser tratadas de um modo igualitário, independentemente do lugar da UE onde decidam viver.

Assine a petição para pedir às instituições da UE que protejam os direitos dos casais do mesmo sexo e das famílias LGBT+.

Esta campanha é organizada em colaboração com a Fundação Bilitis Resource Center, a organização juvenil LGBT Deystvie, a Fundação GLAS-Bulgária, a plataforma online de direitos humanos Marginalia, e o Centro Búlgaro para Estudos da Democracia.

Publicado em 6 de novembro de 2018.

Essa é uma campanha da All Out Action Fund, organização sem fins lucrativos, registrada na categoria 501(c)(4) da Receita Federal dos Estados Unidos.