PARA: AUTORIDADES DA TUNÍSIA

Marwan, jovem estudante da Tunísia, foi preso por causa de mensagens de texto enviadas para outro homem. A polícia realizou um exame médico pavoroso para “provar” que ele era gay. Depois disso, ele foi condenado a um ano de prisão.

Ser gay não pode ser crime, e ninguém deveria ser obrigado a passar por procedimentos médicos humilhantes simplesmente por ser quem é. Libertem Marwan e todas as pessoas presas na Tunísia por serem quem são.

Esta campanha terminou.

Siga a gente no Facebook e no Twitter para receber atualizações sobre nossas campanhas atuais.

Atualização - 17 de dezembro de 2015: Nossa campanha funcionou! O tribunal de recurso decidiu a favor de Marwan. Ele agora está livre.

----------------------

Atualização - 14 de dezembro de 2015:  Marwan ainda corre perigo. Sua audiencia de apelação foi no dia 10 de dezembro, e nesse momento o júri está chegando a uma decisão que será anunciada daqui a três dias. Se for considerado culpado, as autoridades podem condená-lo a um ano de prisão.

Mas enquanto esperamos a sentença de Marwan, recebemos outras notícias perturbadoras da Tunísia: seis outros homens foram condenados a três anos de prisão por acusações semelhantes.

Precisamos nos manifestar agora mesmo e exigir que as autoridades libertem Marwan incondicionalmente junto das outras pessoas presas na Tunísia por amar quem amam. Ajude a gente a conseguir 100 mil assinaturas nos próximos dias – assine e compartilhe a petição.

----------------------

Atualização - 10 de novembro de 2015: Nossos amigos da Tunísia nos disseram que Marwan foi libertado! Mais de 80 mil pessoas do mundo todo se manifestaram pedindo para as autoridades libertarem Marwan. E funcionou – ele está livre e seguro em sua casa.

Mas ele ainda corre perigo. Ele tem mais uma audiência de apelação em dezembro, e se for considerado culpado, as autoridades podem sentenciá-lo a um ano de prisão simplesmente porque ele é gay.

----------------------

Atualização - 9 de outubro de 2015: Precisamos aumentar a pressão para libertar Marwan antes de sua audiência de apelação. Nossos amigos da Tunísia vão entregar nossa petição diretamente ao presidente e ao ministro da justiça.

----------------------

Marwan, um jovem de 22 anos, foi torturado na Tunísia por ser gay. A polícia o prendeu depois de encontrar no celular dele algumas mensagens de texto para outro homem, e realizou um exame médico pavoroso para “provar” que ele era gay. Nem queira saber o que fizeram com ele.

Se não nos manifestarmos agora, Marwan corre o risco de passar um ano inteiro na prisão. Mas a condenação que ele sofreu gerou um grande protesto na Tunísia. Os políticos estão sentindo a pressão e vários já se manifestaram contra a decisão da justiça.

O governo quer que o mundo acredite que a Tunísia começou a progredir na questão dos direitos humanos depois da Primavera Árabe. Com certeza eles vão escutar se milhares de nós nos manifestarmos – afinal, eles não querem sujar a imagem do país. Vamos nos juntar a um movimento gigantesco que já acontece por lá, e a pressão pode ser suficiente para libertá-lo.

O recurso de Marwan será julgado nas próximas semanas, e as pessoas que trabalham conosco na Tunísia pediram para criarmos uma petição mundial às vésperas da audiência. 

Publicado 2 de novembro 2015

Essa é uma campanha da All Out Action Fund, organização sem fins lucrativos, registrada na categoria 501(c)(4) da Receita Federal dos Estados Unidos.