THERESA MAY, MINISTRA DO INTERIOR DO REINO UNIDO

O Reino Unido quer deportar Aderonke para a Nigéria, onde ela pode ser morta por conta das leis homofóbicas do país.

O Ministério do Interior argumentou nos tribunais que ela estaria mentindo sobre ser lésbica porque teve filhos e já usou cabelo comprido.

Essa situação é um absurdo! Garanta que estereótipos ultrapassados não sejam usados em casos de pedido de asilo, muito menos nos tribunais. Impeça agora todas as deportações até que cada representante do governo adote diretrizes respeitosas.

Esta campanha terminou.

Siga a gente no Facebook e no Twitter para receber atualizações sobre nossas campanhas atuais.

Depois de fugir da violência na Nigéria há 10 anos, Aderonke pediu asilo no Reino Unido. Mas, em sua última audiência na semana passada, um representante do Ministério do Interior disse que ela mentiu porque “lésbicas só usam cabelo curto e não têm filhos”.

Então, como Aderonke já usou cabelo comprido e teve filhos, ela provavelmente não é lésbica “de verdade”, certo? ERRADO.

A negligência do Ministério do Interior britânico está favorecendo clichês ignorantes no lugar da verdadeira justiça. O Ministério pode decidir o destino de Aderonke a qualquer momento: precisamos nos manifestar antes que ela seja mandada de volta para a Nigéria, onde poderia ser morta ou presa.

O Ministério do Interior está violando suas próprias regras que proíbem tratar de maneira estereotipada a vida e a aparência de lésbicas, gays e bissexuais. Se milhares de pessoas no mundo todo se manifestarem nos próximos dias, podemos fazer com que Theresa May, ministra do Interior, impeça a deportação de Aderonke e garanta que esses clichês não apareçam de novo nos tribunais.

Postado em 5 de março de 2015

Essa é uma campanha da All Out Action Fund, organização sem fins lucrativos, registrada na categoria 501(c)(4) da Receita Federal dos Estados Unidos.